As mil e uma noites

"...Aproximou-se da rocha e gritou: Abre-te, Sésamo!

No mesmo instante a pedra rolou e o lenhador entrou na caverna.

O local se parecia com uma grande sala. No teto havia umajanela por onde entravam alguns raios de sol. Mas aqueles raios foram suficientes para que Ali-Babá visse o mais maravilhosoespetáculo que uma pessoa poderia ter visto: amontoados por todos os lados estavam cofres, baús, sacos grandes e pequenos, odres e barricas cheios de pedras preciosas, de joias, de moedas de ouro e de prata!"

Personagem Sherazadh contando a história de Ali Babá

 

As mil e uma noites 

Coleção Contos e Lendas

Editora: Paulus

Brasil, 2016

Processo de Criação do livro

 

Sherazadh e suas histórias...sua origem é desconhecida, assim como a dos contos que se transformaram no livro "As mil e uma noites", como conhecemos hoje, no séc. XV no Cairo.

Contos de tradições diversas foram reunidos e adaptados pelos árabes, provavelmente, do Egito, dos povos hindus, persas, siriacos e judaicos. O tom das histórias passeia entre o mistério, a magia e o humor.

 

O belo trabalho dos artesãos árabes em murais de azulejos e entalhes de portas foi utilizado como linha de união entre todos os contos.

 

A arquitetura, a fauna, a flora, o vestuário, a joalheria, os objetos do cotidiano e os símbolos do imaginário popular árabe,como o pássaro Roc de Simbadh, também conhecido em várias lendas locais; enriquecem e agregam um valor cultural as imagens. Outro exemplo são as vinhetas de abertura e numeração de página que foram criadas a partir dos entalhes de suas portas de casas, mesquitas e palácios.

 

Como técnica, utilizei a pintura em acrílico sobre papel que cria nas ilustrações efeitos de cor intensas e marcantes mas quando diluída se assemelha a aquarela.